10 março 2010

A porta

A PORTA
.

Eu sou feita de madeira
Madeira, matéria morta
Mas não há coisa no mundo
Mais viva do que uma porta.
.
Eu abro devagarinho
Prá passar o menininho
Eu abro bem com cuidado
Prá passar o namorado
Eu abro bem prazenteira
Prá passara cozinheira
Eu abro de sopetão
Prá passar o capitão.
.
Só não abro pra essa gente
Que diz (a mim bem me importa)
Que se uma pessoa é burra
É burra como uma porta.
.
Eu sou muito inteligente!
Eu fecho a frente da casa
Fecho a frente do quartel
Fecho tudo nesse mundo
Só vivo aberta no céu.
.
Vinícius de Morais
(A arca de Noé. São Paulo: Companhia das Letras, 1991, p. 26)
.



2 comentários:

Cláudio J. Gontijo disse...

Leonor.

Biólogo e Professor, visito páginas interessantes de várias regiões. Pretendo divulgar o espaço VERDE VIDA, dedicado à causa ecológica. Apresentamos diversas fotos (base principal) e textos simples, em um formato também simplificado. Visite-nos.

Felicidades em sua jornada!

Paula disse...

Vinícius, sempre!! Eu costumava cantarolar essas quadrinhas na escola, em um tempo em que os professores ensinavam e a gente aprendia...Bons tempos...
Uma semana iluminada!